111625980871027967

by

Seus olhos ainda doiam, mantinha as mãos sobre a face fazendo com que os dedos precionassem a vista de forma suave amenizando assim a dor que ele sabia não conseguir suportar por mais muito tempo. Deu um suspiro, profundo e prolongado como se fosse o último ar que estivesse a suspirar antes de entrar num mundo desprovido de cor e luz, o som do ar que passava por sua laringe chamou a atenção de alguém que vinha caminhado ao longe. Um senhor em seus cinquenta e cinco anos de idade se aproximou sem pedir licença, fazer qualquer questão ou cumprimento sentou-se ao seu lado no banco. O homem que mantinha as mãos sobre os olhos não fez nenhum movimento ao sentir que alguém agora lhe acompanhava no banco, pensou apenas que desde que não fosse incomodado estaria tudo bem. Para ele ser incomodado era exatamente ser questionado. As perguntas costumavam lhe deixar triste, bravo, frustado. Por que diabos, perguntava-se, sempre vinham perguntar-me algo sobre mim mesmo? Não há lá adiante estrelas, mares, terras, homens, guerras e fábulas para que se possa discutir? Por que diabos estes infelizes não me deixam viver sem questionar-me ao meu respeito?

A vida do homem havia sido uma longa e dolorosa jornada, daquelas que não nos envergonhamos ou orgulhamos, mas queremos apenas esquecer. Havia lutado muito, fugido muito, bebido muito para que as histórias, lembranças, nomes, vozes fossem embora de sua mente, mas infelizmente a aminésia sempre prefere ser uma desgraça atingindo só os que da memória precisam, os pobres infelizes que tem passados a serem esquecidos com ela nunca são premiados. O mundo é bastante engraçado, enquanto um reza pela estiagem, chove na sua terra; ao outro que pede a chuva, lhe castiga a seca. Desta mesma maneira cruel o mundo agira com o homem que continuava com suas mãos aos olhos e recursara a conversa amistosa do senhor em seus cinquenta anos de idade que a esta altura já estava à casa indignado pela indiferença de um qualquer na praça. Seu mau foi ter pedido para parar de enxergar certas verdades que se dispunham à sua frente mesmo quando a ignorância era seu maior desejo, lhe castigava demais ver injustiça, carnificina, dor, ódio, medo, abuso onde poderia reinar a paz, era inconcebível que a luta pelo poder que corrompia a uns poucos homens pudesse desgraçar a tantas vidas. Pediu a ignorância mas o seu premio veio torto e lhe coube uma cegueira, lenta, nostalgica, com medo de ser demasiado agressiva para se instalar totalmente pois a mente não poderia suportar a surpresa, chegava ela devagar a evitar um manicomio um uma bala na cabeça. O pedido “quero parar de enxergar certas coisas” parece ter sido interpretado por um deus muito sarcástico, “Enxergar é? Pois bem.” e lá meteu-lhe uma cegueira que veio caminhando de forma tranquila, trágica para ele, a benção era a maldição, com a visão turva a sensibilidade se tornou mais aguçada, agora ele conhecia a psic humana como poucos, conseguia ver o encadeamento dos fatos políticos como raríssimos estrategistas tinham capacidade, sentia a essência de uma mente má, se alegrava com uma boa. Era o confidente das verdades.

4 Respostas to “111625980871027967”

  1. Anonymous Says:

    Você parece uma pessoa muito inteligente Senhor Gustavo. Seus textos realente não deve nada ao melhores autores da atualidade!

    De Rick…

    Quem sou? Tentarei resilver esse mistério.

  2. Anonymous Says:

    Desculpa pela falta de atenção na gramática. hehe

  3. Gustavo Guilherme BacK Says:

    Bom, Rick, acho que parecer inteligente não é lá algo muito difícil, há muita gente que faz caras, fala, e se comporta como inteligente mas não passa de um papagaio de pirata repetindo o que lê, vê e escuta.
    Quanto a meus textos não deverem nada aos melhores da atualidade, daí já acho meio que disparate. Primeiro que teríamos de questionar quem faz os melhores textos da atualidade, segundo, eu não tenho uma obra com a qual se possa avaliar de verdade se escrevo bem ou mal.
    Ah! Quanto a quem você é só me responda uma coisa, você é um indivíduo criado por alguém ou nasceu assim como este mesmo Gustavo BacK, não inventado como um tal Cado Guerra?

  4. Anonymous Says:

    Eu poderia dizer que fui criado como você, que tenho minhas duvidas mas também tenho minhas certezas. Poderia dizer que também tenho meus segredos mais ocultos ao qual escondem o meu caminho da felicidade. É la, no oculto da alma, que se encontra a trilha para a minha felicidade.

    Nem todos os fatos podem vir a tona facilmente. Salve o senhor tempo que é o melhor médico para tais casos difíceis de serem resilvidos.

    O original não é ser diferente, mas é saber quem você é e o qeu você está a procura.

    Poderia citar que a ocasião atual é propícia? É essa resposta que estou a procura.–>

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: