Espaços

by

Acordo na madrugada, suando frio, com mãos trêmulas, pensamentos vacilantes. Olho em direção ao relógio e não foram nem quarenta minutos de sono. Levanto, sigo para a cozinha. O copo de água não sacia minha sede, nem o queijo a fome. Volto para a cama, procuro pelo sono que foge de mim incessantemente. Vou até a sala, pego uma caneta e tento escrever algo, mas tudo que consigo é repetir um nome vinte vezes numa mesma folha branca. Meus braços tremem com o frio que faz nessa meia madrugada que já passou, minha cabeça dói, meus olhos estranham qualquer luz um pouco mais intensa: televisão nem pensar. Ligo o rádio. Toca Pero te Extraño, a voz de Boccelli adentra pela casa e vai ocupando os espaços. Meus olhos se fecham para que tua imagem preencha novamente a minha vida, ainda que virtualmente. Contudo, a voz de Boccelli se vai, sua imagem também, assim como você, há três meses, se foi. Tudo com que fico é esta solidão e esta saudade que espaços não preenchem, só aumentam o vazio.

2 Respostas to “Espaços”

  1. Mila Says:

    Oi
    quanto tempo!
    reli ouvindo a musica pra ficar no clima do texto..
    E gostei.
    =)

    Beijos menino. ;**

  2. Allan Says:

    Da próxima vez, troque a água por um copo de vinho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: